Reversão de laqueadura

Dra. Silvia Joly Mattos – Tenho sido questionada com frequência sobre a reversão da laqueadura. Normalmente são mulheres que fizeram o procedimento quando pensavam que não iriam querer mais filhos no futuro e por alguma razão, às vezes um novo casamento, mudam de ideia.

A laqueadura, ligadura das trompas ou laqueadura tubária, é um procedimento cirúrgico de contracepção. O objetivo é bloquear as trompas através de vários métodos, como por exemplo a eletrocoagulação ou pontos cirúrgicos, para impedir que haja o encontro do óvulo com o espermatozoide. A laqueadura pode ser realizada por incisão abdominal, via vaginal ou através de videolaparoscopia.

Considerado no passado um método definitivo, a laqueadura tornou-se possível de se reverter em algumas situações. Existem, porém, algumas condições para que isso aconteça.

A reversão da laqueadura irá depender de qual técnica foi utilizada, do comprimento que restou da trompa e, em especial, da idade da mulher. Mas o fator principal para a tentativa de reversão é confirmar se a porção final da tuba uterina foi preservada e se ela não está doente ou dilatada. Tudo isso deve ser analisado caso a caso através de laparoscopia.

A reversão então é feita através de microssuturas para religar os canais, e a fertilidade pode ser recuperada apenas em alguns casos. As pacientes submetidas ao procedimento têm menos chances do que o normal de conseguirem engravidar.

Elas também sofrem mais riscos de gravidez ectópica. As chances são de 8 a 20% aproximadamente, de acordo com o comprimento final da tuba uterina ou a porção da trompa onde foi realizada a reversão.

É, portanto, um procedimento que necessita ter indicação muito precisa e que mesmo assim pode não ter sucesso.

Dra. Silvia Joly Mattos é médica especialista em Ginecologia e Obstetrícia formada pela Unicamp, com Mestrado na área de Infertilidade pela Unicamp e especialista em Reprodução Assistida com Título reconhecido pela Febrasgo.

Comments are closed.