Reprodução Assistida

Reprodução Assistida: Inseminação ou Fertilização in Vitro?

Dra. Sílvia Joly Mattos –

Diversos fatores podem impactar a fertilidade do casal que busca a Reprodução Assistida, mas cada caso necessita de um tratamento individual que aumente a probabilidade de gravidez. Dentro da Reprodução Assistida existem opções de baixa e de alta complexidade e aqui vou abordar o tratamento por Inseminação Intrauterina e por Fertilização in Vitro.

Inseminação

A Inseminação Intrauterina é a introdução dentro do útero de sêmen preparado em laboratório, com uma concentração maior de espermatozoides móveis. É realizada através da indução de ovulação e controle com ecografia, de forma que esse sêmen é introduzido no dia de maior probabilidade de concepção. É um procedimento rápido, podendo ser realizado em consultório.

A inseminação é um procedimento simples e permite “cortar o caminho” percorrido pelos espermatozoides até o útero. Essa técnica também pode ser utilizada quando o homem possui baixa taxa de motilidade de espermatozoides, assim o sêmen é coletado e tratado para melhorar esse parâmetro.

FIV

Já a Fertilização in Vitro (FIV) é um procedimento de alta complexidade onde os oócitos, espermatozoides ou embriões são manipulados em laboratório para resultar em uma gestação. São utilizados medicamentos que estimulam a produção de mais de um óvulo por ciclo, que são aspirados quando estiverem no momento adequado. Então os espermatozoides são adicionados no laboratório para que haja a fecundação. Após a fertilização, o óvulo é mantido em estufa até sua divisão celular, e o embrião é transferido para o útero da mãe, no mesmo mês ou em outro momento.

Para indicar um ou outro tratamento, é necessária uma avaliação completa através de exames para definir qual a abordagem mais pertinente em cada caso, seja de baixa ou de alta complexidade, com o objetivo de realizar o sonho do casal de ter filhos.

Dra. Silvia Joly Mattos é médica especialista em Ginecologia e Obstetrícia formada pela Unicamp, com Mestrado na área de Infertilidade pela Unicamp e especialista em Reprodução Assistida com Título reconhecido pela Febrasgo.